Análise de Redes Sociais sobre as Manifestações

Como vimos no post anterior, as Mídias Sociais desempenharam um papel fundamental nas manifestações ocorridas no Brasil durante o mês de junho de 2013, servindo como ferramenta para organizar, divulgar as passeatas e para esclarecer a população sobre os fatos que a mídia tentou mascarar.

Durante as semanas do mês de junho o assunto mais comentado nas principais redes sociais no Brasil foi unânime: as manifestações e a situação política do país. Hastags como #vemprarua, #OGiganteAcordou e #mudaBrasil foram Trending Topics no Twitter, cada pessoa expressando sua opinião e defendendo sua causa.

Diferente de outros movimentos da história brasileira como o Movimento Diretas Já e Fora Collor, este episódio não teve uma única causa, pelo contrário, foi marcado por uma multiplicidade de causas, indo desde o aumento das passagens, até o desperdício de dinheiro público e principalmente a corrupção.

Por isso, foi criado o site Causa Brasil: www.causabrasil.com.br, que mostra um infográfico das principais causas que estão sendo discutidas no Facebook e Twitter através do processamento de um grande volume de mensagens.

CausaBrasil

Nós coletamos mensagens do Twitter e Facebook com as principais hashtags referentes às manifestações e, com ajuda do site Causa Brasil, nós analisamos e criamos uma Linha do Tempo, comparando as principais causas citadas com momentos importantes no decorrer do mês de junho. Clique na imagem abaixo para visualizar a linha do tempo.

linha_do_tempo_manifesta_es

Veja que interessante, podemos entender o avanço das manifestações e o sentimento do povo brasileiro através da análise uma grande massa de mensagens em Redes Sociais. Repare que no começo, as causas mais mencionadas foram referentes ao preço das passagens e a qualidade dos transportes públicos, o que faz muito sentido, já que esse foi o gatilho das manifestações.

Com o decorrer das manifestações e devido a outros acontecimentos, outras causas foram ganhando relevância. No dia 19 de junho, alguns prefeitos anunciaram a redução das tarifas de ônibus. As redes sociais responderam ao anúncio de forma muito interessante.

Ao analisar as postagens deste dia podemos perceber claramente que “não adianta reduzir a tarifa do transporte público, se a qualidade é ruim”. Ou seja, a redução da tarifa ao invés de esfriar as manifestações (como imaginavam os prefeitos), só aumentou a insatisfação, pois deu foco para uma discussão sobre a qualidade dos transportes públicos.

Continuando a análise, na quinta-feira do dia 20, uma passeata histórica reuniu mais de 1 milhão de pessoas na Candelária, no Centro do Rio. Tal protesto foi marcado por uma dura repressão policial. Novamente observando o assunto mais comentado nas redes sociais, tudo faz sentido. A questão da Segurança se tornou o assunto mais relevante.

Dia 21, a Presidente Dilma fez um pronunciamento em Rede Nacional, que imediatamente se tornou o assunto mais comentado no Facebook e Twitter. Tal episódio levou a questionamentos sobre o governo Dilma, o que tornou o assunto como o principal tópico de discussão do dia. O mesmo aconteceu no dia 24, após o segundo pronunciamento.

Um assunto muito questionado sobre o segundo pronunciamento da Dilma foi a vinda de médicos do exterior para o Brasil, sobretudo médicos cubanos. O que propagou uma discussão sobre a saúde no Brasil, pois de acordo com a maior parte das postagens da rede, “não faltam médicos no Brasil, faltam na verdade condições de trabalho”.

Durante o dia 25, o assunto da saúde dividiu espaço com a discussão sobre o Governo Dilma, o questionamento se de fato temos democracia (haja vista a repressão policial nas manifestações) e também sobre a PEC 37, que seria votada na câmara no mesmo dia. De noite, a PEC 37 foi reprovada, o que encerrou de vez este assunto, salvo apenas à posts de comemoração.

No dia 30, a seleção brasileira venceu a Copa das Confederações. Neste momento, assuntos relacionados à Copa do Mundo e à FIFA ganharam muita relevância e foi discutido se a Copa das Confederações teria sido comprada. Novamente o Governo Dilma foi o assunto mais comentado, seguido pelos Gastos na Copa do Mundo. Saúde e Educação apareceram empatados entre os assuntos mais comentados. Logo depois veio a discussão sobre o papel da FIFA e da CBF.

Através dessa análise conseguimos perceber que as Redes Sociais são um reflexo do que a população está pensando e sentindo. Ao correlacionar os assuntos mais postados com os acontecimentos, podemos avaliar como a população reage e até mesmo qual seu grau de satisfação ou insatisfação com relação à um determinado tema. Incrível não?

A Importância da Internet nas Manifestações

Estamos passando por um momento histórico no Brasil. O momento que o povo vai às ruas para reivindicar por seus direitos, por melhores condições de vida, por educação, saúde e serviços públicos de qualidade.

Promovidas inicialmente pelo Movimento Passe Livre, as marchas foram iniciadas devido ao aumento abusivo nos transportes, mas imediatamente tomaram outro foco: lutar contra a corrupção e a inflação excessiva nos serviços públicos em detrimento dos altos impostos pagos e da péssima qualidade dos mesmos.

Em poucos dias o movimento tomou uma proporção e importância semelhante às outras manifestações que fizeram história no país, como o Movimento Diretas Já (1983 – 1984) e o Movimento Caras-Pintada (1992), que culminou com o impeachment do Presidente Fernando Collor.

diretascaras pintadas

Porém, o movimento atual tem um ingrediente especial (além do vinagre): a internet.

A internet e as redes sociais estão sendo cruciais para esse momento histórico do Brasil, de forma semelhante ao que aconteceu em diversos países no episódio conhecido como Primavera Árabe, que derrubou regimes opressores em 2011.

As redes sociais estão contribuindo de três formas:

  • Organização, agendamento das passeatas;
  • Divulgação das manifestações e das causas do movimento;
  • Esclarecimento da população sobre os fatos (esse é o tópico principal)

As fotos, vídeos e relatos que circulam pela rede mostram um lado que contradiz as informações publicadas pela mídia. Com a abrangência e velocidade da internet fica cada vez mais difícil para a mídia manipular os fatos.

Com a facilidade de hoje em dia em tirar fotos e postar em redes sociais, muitos fatos aparecem primeiro no Facebook, no Twitter e no Instagram do que nos grandes veículos de imprensa, até porque, convenhamos, a quantidade de pessoas com smartphone hoje em dia é infinitamente maior do que a quantidade de repórteres.

Dessa forma, a quantidade de conteúdo gerada em eventos como esse é muito grande. Além disso, são na maioria das vezes conteúdos que viralizam com facilidade, ou seja, são compartilhados por um grande grupo de pessoas. Como, por exemplo, as imagens de pessoas segurando cartazes com frases de efeito e os vídeos que mostram claramente a violência praticada pelos policiais.

Por conta disso, cada vez mais as pessoas vão percebendo que a mídia está manipulando os fatos, seja omitindo fatos ou publicando fotos tiradas de um ângulo tendencioso. Perceber isso causa indignação nas pessoas, que cada vez mais vão compartilhar as postagens e assim o movimento vai se tornando mais e mais conhecido.

Para vocês terem uma ideia do poder da internet, o Movimento Diretas Já de 1983 começou com 5 mil pessoas em 15 de junho e demorou 10 meses para levar 1 milhão e 500 mil pessoas na Praça da Sé em São Paulo e 1 milhão em frente da igreja da Candelária no Rio de Janeiro.

Hoje, em apenas 11 dias de protestos, o movimento levou mais de 100 mil pessoas no Centro do Rio, o que aponta que alcançará os mesmo 1 milhão em questão de poucos meses, ou talvez semanas.

saimos-do-facebook